HISTÓRIA

O projeto Morrinho, instalado na favela Pereira da Silva (no bairro Laranjeiras, zona sul do Rio), nasceu para "desafiar a percepção popular das favelas brasileiras", mostrando que a favela é um espaço de grande riqueza cultural e social, não só de violência.

 

A história da brincadeira começou em 1997, quando o jovem Cirlan Souza de Oliveira de apenas 14 anos e seu irmão Maycon de Oliveira de apenas 8 anos , passaram a reproduzir o cenário da favela usando tijolos e outros materiais recicláveis. A brincadeira chamou atenção de outros jovens e deu origem a uma maquete de pequena escala, que mede hoje 450 metros quadrados e enfeita o cenário da Favela Pereira da Silva. Usando carrinhos, bonequinhos de lego e outros objetos, foram reproduzidos também os habitantes da favela e todos os detalhes das ruas.

 

Encantados com a pequena e cuidadosa obra de arte, os diretores de cinema Fábio Gavião e Markão Oliveira viram ali uma grande história pedindo para ser contada pelos seus próprios autores. Foi quando começou, em 2001, uma série de oficinas audiovisuais, com ensino de técnicas de câmera e edição de vídeo, entre outros módulos. Dessa iniciativa nasceu a Tv Morrinho, uma produtora de audiovisual cujos curtas e documentários, tanto autorais quanto encomendados por empresas.

 

O Morrinho já foi exposto em vários festivais na América Latina, Europa, EUA Ásia e várias cidades brasileiras ganhando assim um grande reconhecimento nacional  e internacional. Entre os demais projetos da ONG, consta o Turismo no Morrinho (visitas guiadas à maquete) e o Morrinho Social (com aulas de inglês, fotografia e atividades recreativas com foco na cidadania e arte-educação).